sábado, 24 de outubro de 2020

Employer branding e Employee Experience: ser uma marca empregadora e promover experiências aos colaboradores


Estamos acostumados a ouvir que uma pessoa é ou não é empregável. E nos acostumamos ao termo “empregabilidade” no mundo empresarial. O termo "empregabilidade" é comum no mercado de trabalho para indicar o quanto uma pessoa é "empregável", se fazendo uma análise de quais seriam as dificuldades ou facilidades para ela encontrar um nova atividade laboral, caso precise.


Mas você sabe o que é uma marca empregadora e experiência do colaborador? E por meio dela criar uma proposta de valor para seus colaboradores e atrair talentos que queiram genuinamente trabalhar para sua empresa?


Assista no YouTube





Já ouviu falar de Employer Branding?


Ouça no Spotify




Employer Branding (EB) é uma expressão surgida nos anos 1990 e é hoje estratégia fortemente usada nos negócios mais inovadores, especialmente relacionadas a equipes de Recursos Humanos, Marketing e Comunicação de empresas de todos os portes e segmentos que se preocupam com seus ativos mais importantes: pessoas.


É o processo que envolve a construção e a gestão de uma marca empregadora forte, focada na reputação verdadeira e diferenciada usando-se promessas de valor consistentes, diante de candidatos às vagas disponibilizadas, de colaboradores e da sociedade como um todo, contribuindo assim para a atração e a retenção desses talentos. Vivemos um ambiente dominado pela disputa pelos melhores talentos do mercado, portanto, ter uma estratégia de EB é hoje o que pode proporcionar não apenas o sucesso, mas a sobrevivência das empresas em suas áreas de atuação.


Mas, mesmo com esse tema em destaque nas tendências de mercado, muitos profissionais e empresas ainda têm dúvidas sobre o que realmente é a gestão de marca empregadora e como começar a aplicá-la no dia a dia, de forma que ela contribua eficazmente nos resultados de negócios.


Usar essa estratégia ajuda a conseguirmos defensores internamente na organização (similar aos clientes leais). Isso gera uma reputação da marca como uma marca empregadora. Atrai talentos fundamentais para ganhos de escala e crescimento necessários nos tempos atuais.


Essa estratégia visa aumentar a satisfação dos colaboradores e os transformar em apaixonados pelo seu trabalho e pelo local (não físico somente, mas emocional) no qual exercem as suas atividades laborais.


O EB é importante para as organizações pois traz alguns benefícios tais como: produtividade, redução de custos, melhor relacionamento com fornecedores, melhor suporte para ações de marketing.


Portanto, de uma forma simples que eu descrevo aqui, você deve promover o valor da sua marca, engajamento e motivação dos profissionais que trabalham com você, além de um senso de pertencimento entre todos os colaboradores.


Já ouviu falar de Employee Experience?


Acesse os Slides


Nas organizações mais antenadas, já há algum tempo vivemos a era da UX — que é o conceito de User Experience e que nos ensina que não é o bastante criar um site, canais de e-commerce ou um app bonito. Essas plataformas também precisam ser fáceis de navegar, entregarem uma experiência de uso extremamente agradável para o usuário. Parece óbvio para um profissional de marketing, mas não é tão praticado assim. Apesar de vermos produtos sendo melhorados continuamente, ainda bem! Ainda assim, os atores da área da comunicação e até mesmo as marcas mais tradicionais precisaram repensar times e a sua estratégia virtual na tentativa de oferecer essa experiência memorável de navegação. 





Entendido o conceito? Então chegamos a um novo momento deste texto: a era da EX, a Employee Experience, ou experiência dos nossos colaboradores dentro da nossa empresa. O lado humano das organizações, seja no aspecto comercial, de comunicação ou no trato com as pessoas se destacou ainda mais neste momento de pandemia. Nas organizações, a preocupação com as pessoas alcançou status nunca vistos. 


Todos os aspectos que conhecíamos do trabalho presencial mudaram radicalmente e isso abriu a possibilidade das empresas e seus líderes repensarem a atuação e estudarem diferentes e inovadores conceitos de qualidade de vida que envolvem os times de trabalho. Colocar em pauta das estratégias de negócios a experiência dos empregados  é necessária para qualquer tamanho ou tipo de empreendimento. A experiência proporcionada por essas empresas que atrairá ou manterá as melhores pessoas para compor as equipes. E ninguém aqui discute o fato de que pessoas são o que tornam um lugar de trabalho especial (ou não).


Reprogramar a experiência dos nossos colaboradores significa ter a chance de repensar todo o modelo/fluxo de trabalho. Não digo que é fácil, mas também digo que é a oportunidade que pode trazer uma grande diferenciação para os negócios.


Em um formato onde cada um de nós pode trabalhar de onde bem entender (amo!!!), como manteremos a interação entre as equipes, por exemplo?  Novos arranjos físicos e tecnológicos, novas ferramentas e tecnologias, entre outras mudanças que estamos assistindo irão ser percebidos na experiência de cada um dos colaboradores ao exercerem as suas atividades e, em seguida, na relação deles com os clientes e, principalmente, nos resultados obtidos dessa interação. 


Resultados positivos com certeza!


Prof. Alberto Claro


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...