quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

CAPES: Resultados da Avaliação Trienal da Pós-Graduação brasileira são publicados (2010-2012)

painel-trienal2013

Foram divulgados, nesta terça-feira, dia 10 de dezembro de 2013, os resultados da Avaliação Trienal da Pós-Graduação brasileira realizados pela CAPES. Saiba detalhes do evento, clique aqui.

Planilha de Notas e Apresentação (Fonte: CAPES)

O arquivo "Apresentação  Resultados Trienal 2013 " traz informações gerais a respeito da Avaliação Trienal 2013, contendo, por exemplo, dados comparativos com as trienais anteriores, distribuição de notas e crescimento do número de programas avaliados por região brasileira.

O arquivo "Planilha notas Avaliação Trienal 2013" contém a listagem de programas de pós-graduação avaliados por área, instituição, nível e a sua respectiva nota. Há mais duas abas que trazem as notas das trienais anteriores, que ocorreram em 2007 e 2010.

Acesse a planilha com os resultados da Avaliação Trienal. Veja a apresentação feita sobre a avaliação. Conheça o site da Avaliação Trienal.

A seguir estão disponibilizadas (pela fonte CAPES) os seguintes documentos para sua visualização:

Relatórios de avaliação de todas as áreas avaliadas

Os relatórios de avaliação são feitos por cada área ao final do período das reuniões presenciais , trazendo considerações gerais a respeito da Avaliação Trienal 2013, critérios para classificação de periódicos, artística, de livros e de produção técnica, critérios utilizados em cada item da Ficha de Avaliação, indicadores considerados para atribuição de notas 6 e 7 e a síntese da avaliação, comparando-a com os triênios anteriores

Relatório de Avaliação Trienal 2010-12 da área de Administração, Ciências Contábeis e Turismo

Relatório de Avaliação Trienal 2010-12 da área de Ciências Sociais Aplicadas I

Relatório de Avaliação Trienal 2010-12 da área Interdisciplinar

Planilhas de indicadores de todas as áreas avaliadas

As planilhas de indicadores mostram, por área de avaliação e por programa de pós-graduação, os dados do triênio 2010-12 referentes a produção bibliográfica distribuída segundo a estratificação Qualis, produção artística, teses e dissertações defendidas, número de docentes permanentes e nota da Avaliação 2013.

Planilha de indicadores da área de Administração, Ciências Contábeis e Turismo

Planilha de indicadores da área de Ciências Sociais Aplicadas I

Planilha de indicadores da área Interdisciplinar

Fichas de Avaliação

As Fichas da Avaliação Trienal 2013 dos programas de pós-graduação estão disponíveis para consulta pública.

Para acesso, identifique o programa a partir de buscas dentre as opções:

Após chegar à página do programa, acesse o link Fichas de Avaliação e selecione a ficha desejada.

Classificação de Livros, acesse aqui

As planilhas abaixo apresentam a classificação de livros realizada por cada área de avaliação, contendo a identificação: do programa de pós-graduação, da IES, do ISBN, do título da obra e sua respectiva classificação (L4, L3, L2, L1 ou NC).

Saiba mais sobre todo o processo clicando na postagem: Avaliação Trienal da CAPES 2013: um olhar sobre a pós-graduação brasileira.

Acompanha as notícias na imprensa sobre a publicação dos resultados em tempo real, clique aqui.

Vídeos com a apresentação dos resultados

 

 

Estudo do MEC aponta que cursos de pós-graduação tiveram crescimento de 23% nos últimos 3 anos

 

Call for papers – SIMPOI 2014 - XVII Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais

 

Com o tema “"OPERAÇÕES HUMANITÁRIAS E CADEIAS SUSTENTÁVEIS", foi divulgado a chamada de manuscritos para submissão ao SIMPOI 2014 - XVII Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais.

Prepare o seu manuscrito.

image

Confira os eventos científicos da ANPAD (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração) para 2014

Confira os eventos científicos que a ANPAD (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração) programou para 2014 e prepare o seu manuscrito para submissão. Ocorrerão o EnEO, o EMA e o EnANPAD.image

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Ensaio publicado na Revista Melhor Gestão de Pessoas sobre Hospitalidade Organizacional

i405678A Revista Melhor Gestão de Pessoas do mês de dezembro de 2013 publicou um ensaio de minha autoria sobre Hospitalidade Organizacional com o título “Como se fosse em casa:um olhar sobre a hospitalidade organizacional”.

 

Capa

Clique nas figuras abaixo para a leitura do texto na íntegra ou aqui para ler na internet diretamente.

Dicas de leitura–Livros interessantes (Dezembro de 2013)

Recentemente tive contato com alguns livros interessantes e que indico aqui para breve leitura.

São eles (clique nas figuras para obter acesso a mais informações):

POMS Atlanta Conference (May 9-12, 2014)–Resumos podem ser enviados até 15 de dezembro

image

Em mensagem recebida pelo Prof. Dr. Luiz Brito (FGV-EAESP) há o convite para a submissão de artigos para a conferência do POMS que vai se realizar em Atlanta, de 9 a 12 de maio de 2014.

Veja a seguir o convite de Sushil Gupta, diretor executivo do POMS.

 

Será o 25a Aniversário da Conferencia que é o principal fórum de encontro dos pesquisadores da área de Operações. O link da conferencia é http://www.pomsmeetings.org/EventsNet/?pr=1&ev=51

A data limite para a submissão de resumos (50 palavras) é 15 de Dezembro de 2013.

Outra oportunidade é o prêmio para Emerging Economies Doctoral Student Award, 2014. É um prêmio que o POMS oferece para estudantes de doutorado que estão trabalhando em temas de operações. Para os alunos é um reconhecimento importante para a carreira e nós brasileiros  não temos aproveitado a oportunidade como poderíamos. A data limite para a submissão é 15 de janeiro de 2014. Vejam o documento a seguir:

Oportunidade para publicar artigo em livro da UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA - UFRR

A EDUFRR (UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA – UFRR) está com um edital aberto para coletânea de artigos para compor livros o seu Diretor, Prof. Dr. Cezario Paulino solicita apoio na divulgação.

Veja o edital abaixo, clique para obter e boa sorte com sua submissão.

Final de semestre da disciplina Teoria das Organizações (TO) no PPGA–UMESP

2013-10Mais um semestre se encerrou para a disciplina Teoria das Organizações (TO) que ministro no PPGA (Programa de Pós-Graduação em Administração – Mestrado em Administração) da UMESP (Universidade Metodista de São Paulo).

Quero agradecer à turma de mestrandos que participou dos nossos encontros em 2103.2 e ressaltar o aprendizado mútuo que alcançamos.

Obrigado a todos e boa sorte na caminhada profissional! Até a próxima disciplina.

Abaixo as fotos da turminha.

BRunaGeizaFoto ThaisaJoelJulianaLilianOswaldoRegison e VictorRenata ReisRenataSilvia

Participação em banca para avaliar projeto de qualificação–Mestrado Profissional em Administração–FACCAMP

No dia 06 de dezembro de 2013 participei de uma banca de projeto de qualificação no Programa de Mestrado Profissional em Administração da FACCAMP – Faculdade Campo Limpo Paulista, na cidade com o mesmo nome, como membro convidado para a arguição do candidato.

Ela ocorreu sob a presidência do Prof. Dr. Takeshy Tachizawa, e contou com a participação, ainda, do Prof. Dr. José Luiz Contador.

O candidato foi Jose Carlos Andrade Gomes.

Título: MODELO DE GESTÃO FINANCEIRA NO CONTEXTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS: ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

RESUMO: Este estudo tem como proposta a concepção de um modelo de gestão financeira para MPE’s, que de forma objetiva e simples, seja capaz de monitorar as atividades financeiras da empresa JAP-Clicheria Ltda. O controle financeiro, como instrumento de gestão empresarial, pode influenciar significativamente no índice de mortalidade de micro e pequenas empresas (MPE’s), 64% até o sexto ano de vida (SEBRAE, 2008). As empresas, segundo o SEBRAE, que se apoiam em tecnologias de gestão, com planejamento e controle sistemático, tendem a reverter a tendência de mortalidade precoce. As MPE’s, nos primeiros anos de atividade, exigem a necessidade de trabalhar com modelos de gestão, de manuseio simples, fácil entendimento, visualização de resultados e que possam orientá-las quanto aos resultados gerados por suas ações empresariais. O objetivo é proporcionar a visão estratégica compatível ao desenvolvimento dos negócios, com registro e informações capazes de indicar os caminhos para assegurar sua continuidade empresarial. A implementação desse modelo de gestão deve gerar uma racionalização de processos operacionais, aliados a melhor estrutura de layout, com vistas à obtenção de uma cadeia produtiva eficiente. Este modelo esta consubstanciado em um “Fluxo de Caixa”, com a aplicação prática dos conceitos de hierarquização das decisões, que pode determinar prioridades e monitoramento dos resultados estratégicos da JAP-Clicheria Ltda.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Avaliação Trienal da CAPES 2013: um olhar sobre a pós-graduação brasileira

SAIBA OS RESULTADOS: Capes divulgou, oficialmente, resultados da avaliação de cursos de pós-graduação no dia 10 de dezembro de 2013.

SAIBA MAIS SOBRE OS RESULTADOS, clique aqui.

Saiba como foram as atividades da Diretoria de Avaliação (DAV) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) para os trabalhos da Avaliação Trienal 2013.

A partir de 30 de setembro ocorrerão as reuniões presenciais das Comissões de Área. irão até 25 de outubro. Após, ocorrerá a Reunião do CTC-ES (Conselho Técnico-Científico da Educação Superior) para deliberação dos resultados da Avaliação Trienal, no período de 18 a 29 de novembro de 2013. A seguir haverá a Divulgação dos resultados da Avaliação Trienal (02 de dezembro de 2013).

painel-trienal2013

Figura 1 – Página da Avaliação Trienal 2013 (CAPES)

No dia 05 de setembro (2013) foi publicado o Documento de Área 2013 da Área 27 – Administração, Ciências Contábeis e Turismo

Clique na figura acima e acesse a área exclusiva criada pela CAPES para aglutinar as informações. Abaixo eu disponibilizo outros itens de interesse sobre o tema.

Que TÍTULO dar ao meu texto acadêmico-científico? E as palavras-chave ou descritores? Saiba como elaborar.

Assista ao vídeo introdutório aqui

Como pesquisador, sempre a lidar com textos acadêmico-científicos, chego ao final da redação, ou até mesmo nos momentos que antecipam o ato de submeter o estudo para a avaliação da comunidade científica,com uma grande dúvida em mente: Que TÍTULO dar ao meu texto acadêmico-científico?

Esse momento de expor meu texto à comunidade científica, seja em eventos da minha área de conhecimento ou em periódicos Qualis para que possamos atender às exigências de produção a que somos subordinados, exige diversas reflexões para ver se tudo está certo com ele, e o título é uma das preocupações fundamentais.

Em virtude disso e atendendo a pedidos de colegas pesquisadores, orientandos e demais alunos que passo a discorrer sobre o tema nesta postagem.

Matos (1998) já afirmava que saber ler títulos de trabalhos científicos é ponto fundamental para saber criá-los. Outro ensaio interessante nos é dado por Annesley (2010). Além disso, como o estudo realizado por Neubert et al. (2012) mostra, um título com as palavras adequada acaba sendo encontrado pelos nossos pares da academia e acaba sendo citado. Sabemos o quanto é importante sermos citados, conforme nossa postagem “Entenda o que é fator de impacto e contagem de citações em pesquisa científica”.

Um título deve ser “claro, conciso, concreto e criativo” (MATOS, 1988, p. 778). Para o autor deve-se evitar supérfluos e diretamente focado com o objeto de estudo. Eu considero que um bom título deve ser um atalho explicativo para o objeto estudado e para a técnica de pesquisa usada, facilitando assim a busca por quem está “enfiado” com diversos textos esperando encontrar algo para o seu próprio texto de investigação.

Um título é a linha de frente do nosso texto perante um leitor ávido por informação e relevância. Ele é o primeiro item que se sobressai e nele depositamos as nossas esperanças para que alguém leia o restante do que escrevemos. Por isso que Annesley (2010) insiste em que fechemos o nosso manuscrito com ele, pois é encerramento de uma reflexão sobre o nosso tema. Ele anuncia todo o resto, portanto, nada mais lógico que todo o resto já ter sido feito. Conecta nosso relatório de pesquisa a toda a comunidade científica. “Baita” importância! Não concordam?

Ser claro, ser conciso e ser informativo são outras dicas que Annesley (2010) nos dá. Digo que o tamanho de um título deve ser o suficiente para passar a mensagem que se quer sem fazer com que o leitor fuja de nós (ou do nosso texto). Eu indico no máximo 15 palavras (mas, vejam, em casos extremos!). Veja para onde pretende enviar seu manuscrito para avaliação e percebe as regras quanto a isso. Se você reler o seu título uns dois dias depois que o elaborou irá perceber que ele está exagerado. Então a dica é: elabore o texto e depois retorne a ele com uma leitura crítica. Verá que a reformulação se faz necessária.

 

  • TÍTULO DE UM TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO, MONOGRAFIA, DISSERTAÇÃO, TESE

imageA NBR 14724:2011 traz informações de como deve ser um título: "claro e preciso, identificando o seu conteúdo e possibilitando a indexação e a recuperação da informação". E os subtítulos, quando houver, devem ser precedidos de dois pontos. Não há necessidade de colocar os subtítulos em letra menor, ou minúsculas, ou com destaque tipográfico diferente do título. Claro, a não ser que as normas de submissão do evento ou periódico científico assim exigirem. Algumas instituições de ensino ou agências de fomento também pedem algo diferenciado. Fique atento a isso.

Esta NBR conceitua o que é um título em “3.34. título: palavra, expressão ou frase que designa o assunto ou o conteúdo de um trabalho”. E o que é um subtítulo em: “3.30. subtítulo: informações apresentadas em seguida ao título, visando esclarecê-lo ou complementá-lo, de acordo com o conteúdo do trabalho”. Assim, você poderá tirar suas próprias conclusões e seguir a norma.

Ainda seguindo a norma, o título é um elemento obrigatório e vem na capa do trabalho (monografia, trabalho de conclusão de curso, dissertação, tese), conforme a informação extraída do item “4.1.1. capa: (…) c) título: deve ser claro e preciso, identificando o seu conteúdo e possibilitando a indexação e recuperação da informação; d) subtítulo: se houver, deve ser precedido de dois pontos, evidenciando a sua subordinação ao título; (…)”. O título também deve ser inserido em outras partes do trabalho, como na folha de anverso, na folha de aprovação. Já a nomenclatura dos títulos dos elementos textuais fica a critério do autor. Ah, evite abreviações ou siglas em um título.

 

  • TÍTULO DE UM ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA IMPRESSA (ou até mesmo digital)

imageA NBR 6022 trata de como se elabora um título quando se trata de um artigo para ser publicado em uma revista científica (impressa ou digital, o que´vem sendo mais comum atualmente). A mesma informação se pode utilizar quando se trata de um evento científico. Claro, a não ser que as normas de submissão do evento ou periódico científico assim exigirem. Fique atento a isso.

Essa norma trata do assunto nos itens: “3.25 título: Palavra, expressão ou frase que designa o assunto ou o conteúdo de uma publicação.”; e “3.23 subtítulo: Informações apresentadas em seguida ao título, visando esclarecê-lo ou complementá-lo de acordo com o conteúdo da publicação.”

O título deve estar situado dentro da estrutura do artigo científico como orienta a NBR nos elementos pré-textuais, conforme a seguir: “5.1 Elementos pré-textuais: Os elementos pré-textuais são constituídos de: a) título, e subtítulo (se houver); (…)” e, também, nos elementos pós-textuais: “5.3 Elementos pós-textuais: Os elementos pós-textuais são constituídos de: a) título, e subtítulo (se houver) em língua estrangeira; (…).”

Nas regras gerais de apresentação a NBR 6022 aponta que “6.1.1 Título e subtítulo: O título e subtítulo (se houver) devem figurar na página de abertura do artigo, diferenciados tipograficamente ou separados por dois-pontos (:) e na língua do texto.”. Ver item 6.3.1 para título em língua estrangeira.

Sugiro dar uma olhada nas normas da APA quando se tratar de publicar em periódico ou evento internacional.

 

  • PALAVRAS-CHAVE (DESCRITORES) ESCOLHIDAS PARA UM TEXTO CIENTÍFICO

imageO uso de palavras-chave (ou descritores) em um texto acadêmico-científico é muito comum, em muitos casos, obrigatório. Então pretendo também ajudar com este item. Há poucos estudos sistemáticos que tratam o tema, como atestam Costa e Moura (2013). Se tiver sugestões me envie, vou fiar bem agradecido!

Um texto que há tempos debate essa a questão é o de Mattos (1972, p. 25), que define “palavra-chave como sendo todo vocábulo ou conjunto de vocábulos de um documento que possua conteúdo informático.” Ele explica que “quando constituída de um único vocábulo, a palavra-chave deverá ser um substantivo ou um verbo”, e exemplifica que “as palavras ‘de’, ‘também’, ‘ela’, ‘pequeno’, etc., não possuem conteúdo informático, agindo apenas como elementos de ligação e de qualificação. Em caso de ser constituída de um conjunto de vocábulos, a palavra-chave, para possuir conteúdo informático, deve expressar, auto-suficientemente, uma ideia completa”.

Novamente, Annesley (2010) alerta para a importância deste item de um texto e para o cuidado que se deve ter com a sua escolha. Meus orientandos e alunos, comumente, escolhem as mesmas palavras do título e as repetem neste local. Podemos afirmar que seria interessante variar até porque usando mais opções de termos sua chance de ser encontrado nos motores de busca na internet (Google, Bing, e etc.) ou nas bases de dados para referência teórica (Scopus, Google Acadêmico, SPELL, entre outros) aumenta.

Saiba mais sobre esses possíveis locais para pesquisa em “Fontes de informação para construção do referencial teórico de um texto científico”.

Mas não necessariamente precisa escolher termos diferentes para o título e para as palavras-chave. Elas precisam ser diretamente relacionadas com o que é encontrado no decorrer do texto. Não coloque palavras-chaves que fogem do objeto do seu estudo, o que pode frustrar pesquisadores que se interessaram por elas. Evite termos genéricos pois podem trazer significados diferentes. Ah, evite abreviações ou siglas em um conjunto de palavras-chave.

Coloque-as pela ordem de importância dentro do seu estudo. Por exemplo, se o seu estudo tem como objeto o comportamento de consumo de moradores da periferia de uma grande cidade quando visitam um shopping center localizado na região central desse mesmo município, podemos sugerir a seguinte ordem de importância: “marketing”, “comportamento de consumo”, “shopping center”, “periferia”, “centro da cidade”. Só um exemplo, mas espero demonstrar a ideia da ordem de importância decrescente. Sugiro que o número de palavras-chave não seja menor do que três ou mais do que cinco.

A NBR 6022 trata do tema no item “3.17 palavra-chave: Palavra representativa do conteúdo do documento, escolhida em vocabulário controlado.” Aponta onde elas devem estar localizadas no texto ao lermos o item “5.1 Elementos pré-textuais: Os elementos pré-textuais são constituídos de: (…) d) palavras-chave na língua do texto” e o item “5.3 Elementos pós-textuais: Os elementos pós-textuais são constituídos de: (…) c) palavras-chave em língua estrangeira; (…)”.

Ela indica ainda:

image

image

Já a NBR 6028, de forma similar, a define no item “2.1 palavra-chave: Palavra representativa do conteúdo do documento, escolhida, preferentemente, em vocabulário controlado” e no item “3.3.3 As palavras-chave devem figurar logo abaixo do resumo, antecedidas da expressão Palavras-chave:, separadas entre si por ponto e finalizadas também por ponto.”

Lembrando que também se deve ficar atento às exigências específicas das instituições de ensino, agências de fomento, periódicos e eventos científicos que podem ser diferentes destas aqui apontadas.

Espero contribuir para seu texto de pesquisa e sugiro, também, a leitura de outras postagens que vão ajudar no entendimento sobre a redação de um texto científico:

Redação científica e normas para elaboração de trabalhos acadêmicos: dicas úteis

Estruturação de artigos científicos e Critérios de autoria em trabalhos científicos

Elementos estruturantes de um projeto de pesquisa

Mais dicas para elaboração de artigos científicos

Como elaborar Tabelas, Quadros, Ilustrações, Figuras, Gráficos, Fórmulas e Equações em uma publicação acadêmica e científica

Apêndice ou Anexo? o que está correto? Os dois.. mas saiba quando usar um ou outro

Assista também o vídeo do Prof. Dr. Gilson Volpato sobre o tema

Sugiro também a leitura dos seguintes textos publicados:

ABNT-ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR 14724:2011 - Informação e documentação — Trabalhos acadêmicos — Apresentação, 2011.

ABNT-ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR 6022:2003 Informação e documentação - Artigo em publicação periódica científica impressa - Apresentação, 2003.

ABNT-ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR 6028:2003 Informação e documentação - Resumo - Apresentação, 2003.

ANNESLEY, T. M. The Title Says It All. Clin Chem, v. 56 n. 3, p. 357-360, 2010. Reprint.

COSTA, M. U. P. DA; MOURA, M. A. A representação da informação em contextos de comunicação científica: a elaboração de resumos e palavras-chave pelo pesquisador-autor. Inf. Inf., v. 18, n. 3, p. 45–67, 2013.

MATOS, F. G. O título de um trabalho científico: claro, conciso, concreto e criativo. Ciência e Cultura, v. 40, n. 8, p. 778–779, 1988.

MATTOS, A. C. M. Informática: o sistema de palavras-chave do contexto (K.W.I.C.). RAE-revista de administração de empresas, v. 12, n. 4, p. 24–39, 1972.

NEUBERT, P. S.; RODRIGUES, R. S.; GOULART, L. H. Periódicos da Ciência da Informação em acesso aberto: uma análise dos títulos listados no DOAJ e indexados na Scopus. Liinc em Revista, v. 8, n. 2, p. 389–401, 2012.

Deixe aqui seus comentários e contribuições, além de, é claro, compartilhar com seus colegas.

ANPG (Associação Nacional de Pós-Graduandos) divulga carta reinvidicatória em prol da Pós-Graduação brasileira

anpg

 

Carta de Ouro Preto

No período de 22 a 24 de novembro de 2013, na Universidade Federal de Ouro Preto (MG), reuniram-se 50 Associações Representativas de Pós-Graduandos e Pós-Graduandas de todo o país para participarem do 39º Conselho Nacional de Associações de Pós-Graduandos (CONAP). Essa intensa e inédita mobilização na história da ANPG é reflexo da expansão da pós-graduação brasileira e do sentimento reivindicatório que marcou o ano em todos os cantos do Brasil (clique na Carta de Ouro Preto para ter conhecimento).
Fonte: Destaques da ANPG nº 10

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...