quarta-feira, 31 de julho de 2013

Revista Organizações em Contexto (ROC) obtém Qualis B2 em Administração, Contabilidade e Turismo

imageCom a notícia de publicação por parte da CAPES do QUALIS 2013 para a Área 27 – Administração, Contabilidade e Turismo, é com alegria que informo, no papel de editor desta revista pertencente ao PPGA da UMESP, que alcançamos o Qualis B2 nessa área. Veja abaixo as outras áreas em que a ROC pontua.

Leia a informação sobre o novo QUALIS.

 

Divulgado o QUALIS CAPES 2013 na área de Administração, Contabilidade e Turismo

image

Foi publicado na página do WebQualis o novo QUALIS CAPES 2013 para a área de Administração, Contabilidade e Turismo (Área 27).

Lá a informação está disponível,  e você pode fazer sua própria busca por um periódico. Leia a postagem Faça uma busca por periódico na página do WebQualis da CAPES.

imageTambém nesta pasta de acesso aberto no meu Drive, o arquivo completo do QUALIS 2013 para consulta, e também um PDF da área de Administração, Contabilidade e Turismo. Elaborei um arquivo XLSX (Excel) para consulta e filtro dos estratos de interesse. Clique na figura ao lado e acesse.

Leia mais sobre Periódicos Científicos QUALIS CAPES. Clique nas postagens abaixo.

Editores Científicos de Periódicos ligadas à ANPAD irão participar de Fórum Nacional durante o EnANPAD 2013

Sobre Fator de Impacto

Informações anteriores sobre o novo QUALIS 2013

Notícia oficial da CAPES a respeito do Qualis 2013

Veja entrevista minha abaixo sobre o tema

sábado, 20 de julho de 2013

Reação contra o uso do Fator de Impacto como indicador de competência acadêmica de pesquisadores

Esta é uma informação importante repassada pelo Prof. Dr. Antonio Moreira Carvalho Neto (Diretor de Comunicação e Publicações da ANPAD).

Trata-se da reação da comunidade científica internacional contra o uso do Fator de Impacto com indicador de competência acadêmica de pesquisadores e subsidiada por dois documentos (figuras abaixo, clique nelas para leitura).

No primeiro, o Editor da Revista Science comenta a iniciativa DORA nas ciências hiper-exatas.
Editor da Revista Science (link) comenta a iniciativa DORA nas ciências hiper-exatas.

O segundo é o texto da iniciativa DORA. Trata-se de uma reação forte contra o uso do fator de impacto das revistas como indicador de competência acadêmica de pesquisadores. Seria interessante discutirmos essa iniciativa.

Outra voz, que em conversas comigo tem se manifestado a respeito, é a do Prof. Dr. +Gilson Volpato. Peço a leitura do seu texto a respeito: CAPES descredencia 66 revistas excluídas do ISI-JCR

Além de alguns periódicos brasileiros retirados do JCR, alguns outros internacionais e conhecidos dos pesquisadores brasileiros na área de administração também foram retirados.

Como exemplo: African Journal of Business Management (AJBM) foi retirado do Journal Citation Report (JCR) em 2010 e acabou afetando (extra-oficialmente) em seu estrato no QUALIS CAPES na área de Administração, Contabilidade e Turismo. Leia mais aqui a respeito desse assunto.

Lembrando que Fator de Impacto (FI) é para periódicos científicos.
Para pesquisadores existem outras medidas indicadoras, como o Fator h e o levantamento de citações.

Leia a respeito:

XXIV Enangrad – Presidente da ANGRAD publica mensagem

XXIV ENANGRAD - Mensagem do PresidenteO Presidente da ANGRAD, com o qual tive prazer em atuar na comissão de avaliadores na área de Administração anos atrás pelo INEP – MEC, Prof. Adm. Mauro Kreuz envia mensagem aos que vão participar do XXIV Enangrad, que ocorrerá em Florianópolis.

 

Clique na figura e leia.

Minuto Ciência está aberto a inscrições até 30 de agosto

Esta notícia tem relação direta com a postagem As Redes Sociais na Internet como ferramenta de Divulgação Científica, elaborada por mim, recentemente.

image

Em parceria com a FAPESP, este concurso, que tem como iniciativa estimular o interesse pela ciência oferece três prêmios de R$ 2 mil aos autores dos melhores trabalhos e um prêmio especial de R$ 4 mil, além de um troféu, para o vencedor, que será escolhido por voto popular ao final do concurso.

Vários candidatos já enviaram vídeos, que podem ser assistidos em www.festivaldominuto.com.br/contests/326?locale=pt-BR.

Mais informações: www.festivaldominuto.com.br

Fonte: FAPESP

EnEPQ e EnGPR 2013, eventos da ANPAD, estão com submissões abertas

Posto aqui uma informação vinda diretamente da ANPAD. Participe!

Periódicos científicos brasileiros excluídos do Journal Citation Report e descredenciados do QUALIS-PERIÓDICOS da CAPES

Recentemente a comunidade científica brasileira foi informada de que periódicos brasileiros foram excluídos do JCR (Journal Citation Report) devido a práticas não aceitáveis, e esse assunto deverá ser discutido durante o V EnEC, Fórum de Editores Científicos de Administração e Contabilidade, da ANPAD, no EnANPAD, conforme o coordenador do evento, o Prof. Dr. Antonio Moreira Carvalho Neto.

Veja a notícia na Folha de São Paulo a respeito do tema com o título Quatro revistas brasileiras são suspensas de índice internacional e no blog Scientific com o post nomeado Periódicos Brasileiros suspensos do JCR.

Abaixo, temos a declaração de Sigmar de Mello Rode Presidente da ABEC (Associação Brasileira de Editores Científicos) e de Abel L. Packer Coordenador do Programa SciELO – (Scientific Electronic Library Online) a respeito do assunto.

image

O Fator de Impacto é um índice bibliométrico calculado pela Thomson Reuters e publicado anualmente pelo Journal Citation Rports.

Leia também sobre Reação contra o uso do Fator de Impacto como indicador de competência acadêmica de pesquisadores

Complementando esta informação, “o Conselho Superior da CAPES, em reunião realizada em 17 de julho de 2013, analisou a decisão da Thomson Reuters de excluir do JCR (Journal Citation Reports), 66 periódicos, entre os quais seis brasileiros. A decisão da Thomson Reuters deveu‐se a um comportamento anômalo destes periódicos no tratamento das citações que compõem o fator de impacto das revistas, pelo excesso de citações cruzadas entre os periódicos que compõem esta lista. O Conselho Superior considera inaceitáveis atitudes como estas, que não coadunam com os princípios da ética cientifica. Neste contexto e considerando que a CAPES, no processo de avaliação dos programas de pós‐graduação utiliza, em várias áreas, o fator de impacto dentre os diversos indicadores para a qualificação da produção científica veiculada em periódicos, o Conselho Superior decidiu pela retirada das 66 revistas do Qualis-Periódicos, procedimento que será observado toda vez que ocorram situações semelhantes”, sendo esta informação obtida no próprio sítio da CAPES.

Post atualizado em 20.07.2013.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

3º Salão Nacional de Divulgação Científica da Associação Nacional de Pós-Graduandos

Este post  auxilia na divulgação de importante encontro de estudantes de pós-graduação no Brasil. Divulgue e participe!

Trata-se do 3º Salão Nacional de Divulgação Científica promovido pela Associação Nacional de Pós-Graduandos – ANPG

Nesta edição, o 3º Salão Nacional de Divulgação Científica volta a integrar a programação oficial da Reunião Anual da SBPC. O evento ocorrerá entre o dia 22 e 26 de julho, no Centro de Ciências Biológicas (CCB) da Universidade Federal de Pernambuco.  O tema será “Inovação, Desenvolvimento Sustentável e Soberania Nacional”, e a conferência deste ano será proferida pelo Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antônio Raupp, no dia 23 de julho, às 13h.

Veja aqui a programação completa.

Entre os convidados para a programação do 3º Salão Nacional de Divulgação Científica da ANPG também estão confirmados: Jacob Palis (presidente da ABC), Glaucius Oliva (presidente do CNPq), Anísio Brasileiro (reitor da UFPE Luiz Antonio Rodrigues Elias (secretário-executivo do MCTI), Helena Nader e Ennio Candoti (presidente e vice-presidente da SBPC).

Clique aqui para ver o panfleto com a programação do salão.

A mostra científica da ANPG será realizada nos dias 22 e 25 de julho, a partir das 9h. No dia 25 e concomitante às atividades do Salão, teremos o Encontro do Fórum de Educação Básica da ANPG, às 10h30min, e o XIV Encontro Nacional de Jovens Cientistas, às 17h, com o intuito de debater o tema “Juventude na rua quer educação de qualidade, com ciência, esporte, cultura e arte”.

Se promoverá, também, o  I Seminário de Formação de Pós-Graduação em Saúde , em parceria com a Secretaria da Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde (SGTES) e a SBPC, nos dias 23 e 24 de julho.

Os Salões Nacionais se consolidaram como uma das principais atividades da ANPG e expressam um espaço diversificado de atividades com o intuito de promover a divulgação científica, a cultura nacional e a integração entre estudantes, professores, pesquisadores e comunidade em geral.

Fone: ANPG

Novidades na programação do I CONGRESSO BRASILEIRO DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS

imageEm dezembro ocorrerá o I CONGRESSO BRASILEIRO DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS, organizado pela Sociedade Brasileira de Estudos Organizacionais.

Elaboro este post para auxiliar na divulgação de Grupos de Trabalho, Mesas Redondas e Mini-cursos Aprovados pela Comissão Científica para integrar a programação do I Congresso Brasileiro de Estudos Organizacionais.

 

terça-feira, 16 de julho de 2013

Mendeley - Gerenciador de Referências Bibliográficas

MendeleyHá tempos atrás eu tinha dificuldade em gerenciar meus “zilhões” de arquivos de artigos científicos em PDF que uso para referências em meus textos científicos. Portanto, decidi criar este post para auxiliar outros pesquisadores a “tirarem” o máximo da ferramenta. Ele ajuda a pesquisadores a organizar, compartilhar e descobrir artigos científicos.

A princípio, quando conheci o Mendeley achei que era mais uma rede social sem futuro. Mas com um pouco mais de atenção e análise percebi o potencial que essa ferramenta tem para um pesquisador. Não só o fato de ser uma rede de pesquisadores, mas também em virtude do seu programa de gerenciamento de referências bibliográficas, o Mendeley Desktop.

Posso afirmar que ele é a melhor solução (e grátis!) para gerenciar suas referências. Gostei tanto que me tornei um Advisor e sempre que tento ensino as pessoas a usarem.

Além da importação dos metadados de arquivos PDF e da sincronização online com a rede de pesquisadores, há a possibilidade de compartilhamento com coautores que estejam em outras máquinas trabalhando. Sem alterar nada!

E ainda auxilia com a normatização do texto que você está produzindo. No caso brasileiro, as normas ABNT de referencias e citação (com pequenas diferenças) estão lá prontas para serem utilizadas e com facilidade!

image

Acesse o portal, baixe o programa e comece a usar. É extremamente útil.

Referências

MENDELEY. Disponível em: http://www.mendeley.com. Acesso em: 15 Jul. 2013.

Outros comentários a respeito do tema:

http://bibliotecafea.com/tag/mendeley/ http://comunidade.ctea.med.br/tecnologia/2011/01/12/mendeley-%e2%80%93-parte-3-broffice/ http://www.posgraduando.com/guia/mendeley-desktop-o-itunes-das-referencias-bibliograficas http://comunidade.ctea.med.br/tecnologia/2010/04/05/mendeley-%E2%80%93-gerenciador-de-artigos-cientificos/ http://condicaoinicial.com/2010/10/padrao-abnt-para-mendeley.html

Como elaborar Tabelas, Quadros, Ilustrações, Figuras, Gráficos, Fórmulas e Equações em uma publicação acadêmica e científica

tabelas-graficos-ilustracoes-figuras-quadros-monografias-tcc-artigo-disssertacao-teseUma dúvida frequente que estudantes de mestrado e doutorado (e de outras etapas da vida acadêmica) e também de pesquisadores é com relação à elaboração de Tabelas, Quadros, Ilustrações, Gráficos, Fórmulas, Equações e Figuras para serem colocados em publicações acadêmicas e científicas.

E essa questão já é tratada há décadas pela ciência e, portanto, na área de conhecimento da Administração e afins.

 

 

Este post pretende ajudar nessas dúvidas gerais. Boa leitura!

 

 

Curiosidade histórica: três artigos publicados na RAE (Revista de Administração de Empresas) em décadas passadas já demonstravam essa preocupação.

BONINI, E. E. Principais tabelas estatísticas aplicadas à contabilidade e à auditoria. RAE-revista de administração de empresas, v. 19, n. 3, p. 79–86, set 1979.

SÁ, G. Cadastros, tabelas e padrões: um exame de sistema estatístico nacional. RAE-revista de administração de empresas, v. 20, n. 2, p. 25–34, 1980.

MOTTA, I. S. Gráfico cumulativo para gestão de estoque. RAE-revista de administração de empresas, v. 3, n. 9, p. 105–116, 1963.

Vamos, primeiramente, à conceituação de cada tipo e que é um dos grandes motivos de confusão por parte de autores inexperientes, ou não. Logo a seguir darei dicas sobre cada tipo.

1. Tabela: Segundo a NBR 6022 da ABNT (Norma Brasileira da Associação Brasileira de Normas Técnicas) CONFERIR NOMES DA NBR e link para ela, em seu item 3.24 (p. 2) é um “elemento demonstrativo de síntese que constitui unidade autônoma.” E em seu item 6.10 (p. 5) afirma que “as tabelas apresentam informações tratadas estatisticamente, conforme IBGE (1993).” Trataremos desse item mais à frente.

Ao olharmos a NBR 14724-2011 da ABNT, em seu item 3.32 (p. 8) tabela é a “forma não discursiva de apresentar informações das quais o dado numérico se destaca como informação central.”

Essa norma também recomenda que quando digitado  um trabalho acadêmico tenha a “fonte tamanho 12 para todo o trabalho, inclusive capa, excetuando-se citações com mais de três linhas, notas de rodapé, paginação, dados internacionais de catalogação na
publicação, legendas e fontes das ilustrações e das tabelas (grifo nosso), que devem ser em tamanho menor e uniforme.” (p. 14).

Eu costumo utilizar tamanho 10, mas verifique se há indicações de onde pretende publicar o estudo de algo específico.

Outra informação que a norma traz é com relação ao espaçamento entrelinhas (p. 14): “todo texto deve ser digitado ou datilografado com espaçamento 1,5 entre as linhas, excetuando-se as citações de mais de três linhas, notas de rodapé, referências, legendas das ilustrações e das tabelas (grifo nosso), natureza (tipo do trabalho, objetivo, nome da instituição a que é submetido e área de concentração), que devem ser digitados ou datilografados em espaço simples. As referências, ao final do trabalho, devem ser separadas entre si por um espaço simples em branco.”

Eu costumo usar espaço entrelinhas simples, ou sigo a indicação de onde pretendo publicar.

Normalmente, apesar de não ser item obrigatório e sim opcional, utiliza-se uma Lista de Figuras na etapa do pré-texto de seu trabalho acadêmico, como ensina a NBR 1474:2011 (p. 12):

“4.2.1.10 Lista de tabelas: Elemento opcional. Elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto, com cada item designado
por seu nome específico, acompanhado do respectivo número da folha ou página.”

image

Segundo o item 5.9, na NBR 14724:2011 (p. 15), as tabelas “devem ser citadas no texto, inseridas o mais próximo possível do trecho a que se referem e padronizadas conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).”

Eu costumo utilizar o parágrafo anterior ou posterior à tabela ou ilustração para citá-la e explicá-la.

Um manual bastante utilizado pelos pesquisadores (e por mim) é o das Normas Tabulares do IBGE em uma versão integral e em uma versão reduzida.

IMPORTANTE: Um manual bastante utilizado pelos pesquisadores (e por mim) é o das Normas Tabulares do IBGE (1993).

Disponibilizo aqui o endereço para se obter uma versão integral e em uma versão reduzida.

Normas Tabulares do IBGE (1993) – Completo

Normas Tabulares do IBGE (1993) - Resumo

Sugiro dar uma olhada no Manual de Publicações da ANPAD que auxilia bastante o pesquisador em nossa área para submeter aos seus periódicos, e que pode ser ajustado para os demais. (esta versão é de 2012).

2. Ilustrações: Segundo a NBR 6022 da ABNT, em seu item 6.9 (p. 5) as ilustrações são “qualquer que seja seu tipo (desenhos, esquemas, fluxogramas, fotografias, gráficos, mapas, organogramas, plantas, quadros, retratos e outros), sua identificação aparece na parte inferior, precedida da palavra designativa, seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto, em algarismos arábicos, do respectivo título e/ou legenda explicativa de forma breve e clara, dispensando consulta ao texto, e da fonte. A ilustração deve ser inserida o mais próximo possível do trecho a que se refere, conforme o projeto gráfico.” E no seu item 3.21 (p. 7) ilustração é “designação genérica de imagem, que ilustra ou elucida um texto.”

A respeito disso veja o que a NBR 14724:2011 (p. 15), em seu item 5.8, fala: “Qualquer que seja o tipo de ilustração, sua identificação aparece na parte superior, precedida da palavra designativa (desenho, esquema, fluxograma, fotografia, gráfico, mapa, organograma, planta, quadro, retrato, figura, imagem, entre outros), seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto,
em algarismos arábicos, travessão e do respectivo título. Após a ilustração, na parte inferior, indicar a fonte consultada (elemento obrigatório, mesmo que seja produção do próprio autor), legenda, notas e outras informações necessárias à sua compreensão (se houver). A ilustração deve ser citada no texto e inserida o mais próximo possível do trecho a que se refere.

Segundo a NBR 14724:2011 (p. 12) em seu item 4.2.1.9 há a possibilidade, de na etapa de pré-texto se criar uma Lista de ilustrações, que se trata de um elemento opcional: “elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto, com cada item designado por seu nome específico, travessão, título e respectivo número da folha ou página. Quando necessário, recomenda-se a elaboração de lista própria para cada tipo de ilustração (desenhos, esquemas, fluxogramas, fotografias, gráficos, mapas, organogramas, plantas, quadros, retratos e outras).”

image

 

Eu costumo usar a nomenclatura Quadro, quando se trata de uma ilustração baseada somente em texto e Figura quando se trata de uma ilustração baseada em foto ou item iconográfico. E uso, Gráfico, quando se trata de uma apresentação gráfica de um dado ou análise estatística.

3. Legenda: Segundo a NBR 6022 da ABNT, em seu item 3.14 (p. 2), se trata de um “texto explicativo redigido de forma clara, concisa e sem ambiguidade, para descrever uma ilustração ou tabela.”

4. Equações e fórmulas: Segundo a NBR 6022 da ABNT  em sue item 6.8 (p. 5) elas devem aparecer “destacadas no texto, de modo a facilitar sua leitura. Na sequência normal do texto, é permitido o uso de uma entrelinha maior que comporte seus elementos (expoentes, índices e outros). Quando destacadas do parágrafo são centralizadas e, se necessário, deve-se numerá-las. Quando fragmentadas em mais de uma linha, por falta de espaço, devem ser interrompidas antes do sinal de igualdade ou depois dos sinais de adição, subtração, multiplicação e divisão.”

Já no item 5.7 (p. 15) da NBR 14724:2011, elas, “para facilitar a leitura, devem ser destacadas no texto e, se necessário, numeradas com algarismos arábicos entre parênteses, alinhados à direita. Na sequência normal do texto, é permitido o uso de
uma entrelinha maior que comporte seus elementos (expoentes, índices, entre outros).

Exemplo:

image

Fique de olho também nas normas específicas dos eventos ou periódicos científicos para os quais pretende submeter os resultados das suas pesquisas, bem como nas normas da instituição à qual você está vinculado, pois podem ter solicitações diferentes destas aqui destacadas.

Veja também o meu modelo para projeto de pesquisa.

Para saber como referenciar um item iconográfico (inclui pintura, gravura, ilustração, fotografia, desenho técnico, diapositivo, diafilme, material estereográfico, transparência, cartaz entre outros) verifique o que ensina a NBR 6023, da ABNT.

Se for usar a norma da APA – American Psicology Association indico olhar essa orientação nas figura abaixo, para Gráficos e Tabelas, conforme apresentado por Leclerc e Kensinger (2008):

Norma APA para Gráfico

Norma APA para Tabelas

 

Dicas da ANPAD para APA

REFERÊNCIAS

LECLERC, C. M.; KENSINGER, E. A. Effects of Age on Detection of Emotional Information, Psychology and Aging, 23, pp. 209–215, American Psychological Association, 2008.

ABNT. NBR 6022:2003 Informação e documentação - Artigo em publicação periódica científica impressa - Apresentação, 2003.

ABNT. NBR 6023:2002 Informação e documentação Referências – Elaboração, 2002.

ABNT. NBR 14724:2011 - Informação e documentação — Trabalhos acadêmicos — Apresentação. 2011.

IBGE. Normas de apresentação tabular. 3. ed. Rio de Janeiro, 1993.

Se tiver dicas, sugestões e correções para com este tema, comente!!! Aguardo sua contribuição. Aprenderemos juntos.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Quando um artigo científico contribui para uma discussão acadêmica saudável

Quem está na academia (científica, e não de ginástica rsrsrs) adora uma boa discussão, embasada, relevante e saudável sobre o seu objeto de estudo.

Eu, particularmente, gosto quando um texto meu, ou mesmo em coautoria, é usado e citado por outros autores para contrapor outros resultados de pesquisas e isso faz com que o objeto cresça e ganhe destaque em nossa área.

Foi isso que aconteceu recentemente e fico feliz aqui em relatar.

Estilo de Vida do Jovem da “Geração Y” e suas Perspectivas de Carreira, Renda e ConsumoEu, os pesquisadores Prof. Dr. João Eduardo Prudêncio Tinoco (Unisinos) e Prof. Dr. Belmiro do Nascimento João (PUC-SP) e uma ex-orientanda minha, a especialista Mariana de Oliveira Fernandes Torres, escrevemos e apresentamos no 13o. Semead – Seminário de Administração da FEA-USP (2010) uma relato de nossa pesquisa sobre o estilo de vida de jovens (da chamada Geração Y) estudantes de pós-graduação lato sensu, e suas perspectivas de carreira, renda e consumo (clique na figura para acessar o texto).

Este texto, por falar nisso, está aceito para ser publicado em uma revista argentina QUALIS CAPES B1, prevista para o primeiro semestre de 2014. Informarei aqui quando publicado.

CLARO, J. A. C. S.; TORRES, M. O. F.; JOÃO, B. N.; TINOCO, J. E. P. Estilo de Vida do Jovem da “Geração Y” e suas Perspectivas de Carreira, Renda e Consumo. SemeAd - Seminários de Administração FEA-USP, 13. Anais... São Paulo (SP), Brasil: USP - Universidade de São Paulo, set. 2010.

 

Pois bem. Ele foi citado pelo artigo ROCHA-DE-OLIVEIRA, S.; PICCININI, V. C.; BITENCOURT, B. M. Juventudes, Gerações e Trabalho: É possível falar em Geração Y no Brasil? O&S - Revista Organizações e Sociedade, v. 19, n. 62, p. 551-558, 2012.

“Enquanto os conceitos ligados aos grupos geracionais anteriores (Babyboomers, Geração X) tiveram pouca repercussão nos estudos realizados no Brasil, atualmente, a discussão sobre a Geração Y tem crescido nas diferentes mídias, com maior destaque nas redes sociais. Segundo tais estudos, os jovens dessa geração - por terem vivido muitas mudanças em diversos setores da sociedade - têm uma única certeza, a imprevisibilidade dos acontecimentos (CLARO et al., 2010)” (p. 551).

Em outra edição da O&S, periódico de prestígio em nossa área, ocorreram duas réplicas para este artigo.

São elas:

VELOSO, E. F. R. É possível negar a existência da Geração Y no Brasil? O&S - Revista Organizações e Sociedade, v. 19, n. 62, p. 745-747, set 2012.

LEMOS, A. H. DA C. Juventude, Gerações e Trabalho: Ampliando o debate. O&S - Revista Organizações e Sociedade, v. 19, n. 63, p. 739-743, dez 2012.

Meus caros, temos aqui uma discussão acadêmica de alto nível! E isso é saudável! Pratique!

Aguardo vossos comentários.

Preparação do V EnEC – Encontro Brasileiro de Editores Científicos de Administração, Contabilidade e Turismo (2013) da ANPAD

Já está confirmada a ocorrência do V EnEC – Encontro Brasileiro de Editores Científicos de Administração, Contabilidade e Turismo (2103) da ANPAD (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração).

Pauta do V Encontro de Editores Científicos da ANPAD

Ele ocorrerá no dia 07 de Setembro de 2013, sábado, das 10h30min às 18h, no Windsor Barra Hotel (Sala Alvorada I), na cidade do Rio de Janeiro (RJ) e será um evento integrante do XXXVII Encontro da ANPAD (EnANPAD) 2013 (Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração).

Ele é coordenado pelo Prof. Dr. Antonio Moreira Carvalho Neto (Coordenador do PPGA da PUC Minas e Diretor de Comunicação e Publicações da ANPAD) e inscrições dos editores deverão ser feitas diretamente com a Rosangela, na Secretaria da ANPAD (secretaria@anpad.org.br).

Terá como participantes: Diretoria da ANPAD, Coordenadora de Área da CAPES e Editores de Periódicos Científicos de Administração, Contabilidade e Turismo.

À direita (clique na figura), a pauta do encontro. Segundo o Prof. Dr. Antonio Carvalho Neto, haverá um espaço maior para os participantes tenham mais tempo para discutir e, também, colocar outras questões para a plenária.


Objetivos do encontro:
1. Discutir Evolução do QUALIS da Área de Administração, Ciências Contábeis e Turismo.
2. Discutir a Segunda Fase de Implantação do Portal Spell – Scientific Periodicals Electronic Library.
3. Discutir diversos temas de interesse e trocar as experiências dos editores a respeito.

Deverei estar presente como Editor da ROCRevista Organizações em Contexto do PPGAUMESP.

Entre os temas, haverá uma discussão conduzida pelo Prof. Dr. Pedro Lincoln Mattos e pela Profa. Dra. Graziela Dias Alperstedt , esta Editora da TAC, sobre o que é uma tecnologia administrativa ou contábil e o que se espera de um artigo sobre essas tecnologias. Professor Carvalho Neto transcreveu, em seu informe sobre o evento, os argumentos do professor Pedro Lincoln, para se preparar o debate:

“Poucos poderiam negar que, em toda a publicação veiculada pela ANPAD ou pelos programas a ela vinculados, já existe tecnologia administrativa e contábil (TAC). No entanto, há dois anos era criada pela ANPAD uma nova revista eletrônica, a TAC – Tecnologias Administrativas e Contábeis. Levar adiante a iniciativa provoca, evidentemente, reflexões inquiridoras sobre o sistema todo, entre as quais, pelo menos três: 1. existe mesmo “isso” (TAC) como gênero literário editorável? 2. O que seria, nesse caso, o “não isso”? 3. O que revelaria mantermo-nos na atual ambiguidade editorial? O que pode tornar essa discussão mais relevante é transferir a atenção da editoração para a produção, e perguntar: de que gênero é a grande produção hoje? Ou: o que se pesquisa hoje? (– ou não se poderia ter pesquisa tecnológica em administração e contabilidade?) O que pode, além disso, trazer premência à mesma discussão é o pressuposto de que dois imperativos a limitam: a produção tem que ser científica e tem que ser socialmente relevante. No calor da vida acadêmica, frequentemente perdemos a capacidade de ver, de perspectiva mais ampla, estes dois imperativos.

A TAC é, pois, um bom mote de conversa, para a qual convidamos você, caro editor.

Para que tenhamos, no pouco tempo disponível, mais foco e rápido aprofundamento, pedimos que, ao decidir participar, cada um de vocês formule de uma a três perguntas que o inquietam sobre esta discussão e a(s) encaminhe à secretaria da ANPAD até dia 15 de agosto.

Também será distribuído, com alguma antecedência ao encontro, texto de ensaio que o professor Pedro Lincoln está submetendo à TAC, motivo pelo qual pedimos evitar sua divulgação, a qualquer título.”

Publicado uma nova edição da ROC–Revista Organizações em Contexto

No dia de hoje o periódico científico do PPGAUMESP, a ROC (Revista Organizações em Contexto), publicou mais um número. Estou como Editor desta revista e espero que gostem dos artigos científicos lá publicados.

Trata-se do Volume 9, Número 17, de janeiro e junho de 2013.

Leia o editorial e acesse o Portal da Revista.

image

Boa leitura e aguardo os seus comentários!

Trabalho Acadêmico: Como formatar referências bibliográficas e citações (ABNT) pelo MORE

Concordo que formatar as referências bibliográficas é uma atividade trabalhosa e até maçante, apesar de necessária.

Então, aqui vai uma dica (não tão nova, mas importante) de utilidade pública do blog: o MORE (Mecanismo Online para Referências).


O MORE é uma ferramenta gratuita e fácil de usar, que produz automaticamente citações no texto e referências no formato ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), para 15 tipos de documentos, a partir de formulários próprios, selecionados em um menu principal, como informa a própria página de apresentação da ferramenta, desenvolvida na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina).

Os documentos cobertos pelo mecanismo são os mais usados no meio acadêmico: livros, dicionários, enciclopédias, teses e dissertações, artigos de revistas, artigos de jornais, nos formatos impresso e eletrônico, além dos documentos exclusivos em meio eletrônico: home-page e e-mail.

Às vezes apresenta instabilidade, mas vale a paciência. Link alternativo: http://www.rexlab.ufsc.br/

Bastante útil e com uma interface com boa usabilidade. Recomendo.





Apêndice ou Anexo? o que está correto? Os dois.. mas saiba quando usar um ou outro

Essa é uma dúvida recorrente entre meus orientandos e alunos. Vou tentar explicar brevemente abaixo.

Segundo a NBR 6022 da ABNT (Norma Brasileira da Associação Brasileira de Normas Técnicas) (p. 2 e 5) e da NBR 14724:2011 (p. 13) tanto o Apêndice quanto o Anexo são elementos opcionais no texto.

Para os efeitos desta NBR 6022, aplicam-se as seguintes definições:

Anexo: Texto ou documento não elaborado pelo autor, que serve de fundamentação, comprovação e ilustração.

Elemento opcional, o(s) anexo(s) são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Excepcionalmente utilizam-se letras maiúsculas dobradas, na identificação dos anexos, quando esgotadas as 23 letras do alfabeto.

Exemplo:
ANEXO A – Representação gráfica de contagem de células inflamatórias presentes nas caudas em regeneração – Grupo de controle I (Temperatura...)
ANEXO B – Representação gráfica de contagem de células inflamatórias presentes nas caudas em regeneração – Grupo de controle II (Temperatura... )

Apêndice: Texto ou documento elaborado pelo autor, a fim de complementar sua argumentação, sem prejuízo da unidade nuclear do trabalho.

Elemento opcional, o(s) apêndice(s) são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Excepcionalmente utilizam-se letras maiúsculas dobradas, na identificação dos apêndices, quando esgotadas as 23 letras do alfabeto.

Exemplo:
APÊNDICE A – Avaliação numérica de células inflamatórias totais aos quatro dias de evolução
APÊNDICE B – Avaliação de células musculares presentes nas caudas em regeneração

Percebe-se claramente que a diferença entre um e outro é que anexo é algo que eu utilizei de outra pessoa e, literalmente, inseri ao final do meu trabalho e apêndice é algo que eu elaborei, mas que poderia ficar ‘deslocado’ se fosse colocado no texto corrido do meu projeto ou relato acadêmico.

Ver meu modelo de para projeto de pesquisa

REFERÊNCIAS

ABNT. NBR 6022:2003 Informação e documentação - Artigo em publicação periódica científica impressa – Apresentação. 2003.

ABNT. NBR 14724:2011 - Informação e documentação — Trabalhos acadêmicos — Apresentação. 2011.

As Redes Sociais na Internet como ferramenta de Divulgação Científica

 Redes sociais potencializam a divulgação científica e interação profissionalEm uma publicação, de fevereiro de 2013, no sítio da FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), chamada de Uso das mídias sociais na ciência é analisado o uso das Redes Sociais na Internet como forma de divulgação científica.

Gostaria, aqui, de dar minha contribuição opinativa a respeito do tema, pois, já há muito tempo faço uso dessas ferramentas para divulgar informações a respeito da minha área de conhecimento, temas de pesquisa, dicas para elaboração de trabalhos científicos e resultados das minhas pesquisas publicados em eventos e periódicos científicos.

Para se ter uma ideia, meu primeiro endereço eletrônico de e-mail data de 1991, e usava o @apx.ibase.org.br!!!! Era um servidor da ALTERNEX, primeiro servidor brasileiro (1988) para a internet, montado pelo IBASE (aquele do Betinho, irmão do Henfil…se recordam? se não, seria bom conhecer a história deles…) Acessava via BBS (bulletin board system), portanto, neste ano comemoro 22 anos como ‘internauta’… A maioria dos usuários de hoje em dia não tem essa idade rsrsrsrs, segundo o IBGE.

Uso de imagens sem ferir direitos autorais para usar em seus trabalhos acadêmicos, aulas e apresentações

Esta dica chegou até mim enviada pelo meu colega Prof. Dr. Léo Tadeu Robles oriunda do seu sobrinho Felipe e trata da utilização de imagens em publicações (acadêmicas ou não), em aulas e apresentações diversas.

Quem trabalha (como é meu caso) com aulas e publicações (livros, artigos, materiais didáticos, e etc.) em muitos momentos precisamos utilizar imagens da internet mas muitas vezes ficamos com receio por causa dos direitos autorais. Entra agora a dica que o Felipe nos deu.

É uma forma de conseguir este tipo de informação de uma maneira bem simples.

Utilizem a página http://commons.wikimedia.org/wiki/Main_Page para obtenção de imagens, pois esta disponibiliza parte do seu acervo para uso acadêmico, indicando a liberação ou não das imagens.

Uso de figuras de acesso livre

Nesta página, há um local para busca. O acervo não é tão grande, mas pode resolver para a maioria das situações. Espero que ajude!

A outra opção conhecida, e que eu uso, é o Google Imagens, mas a imagem pode não ser de uso liberado.

Siga as dicas do Adelson do Gerenciando Blog, aqui.

Também olhe as dicas para o uso de imagens do blog Pós-Graduando

Leia a reportagem do Universia: 100 mil imagens disponíveis para download gratuito sobre a Welcome Images. Boa dica.

image

Cuidado nessa hora para não infringir em direitos autorais.

Bom trabalho e aguardo o seu comentário!

Post Atualizado em 04.02.2014

Faça parte do Banco de Doutores

imageUma iniciativa da Profa. Dra. Nadia Kassouf Pizzinatto, da UNIMEP (Universidade Metodista de Piracicaba) é muito interessante e achei por bem (até para contribuir com a sua disseminação) publicar um post sobre ela.

 

Trata-se do Banco de Doutores.

 

É uma lista de professores doutores ligados a diversas Instituições de Ensino Superior (IES) públicas e privadas na área de Administração e afins com foco em disseminação de informações importantes sobre eventos científicos, publicações, assuntos de interesse da área e também para que esses doutores possam ser alvo de possíveis convites para participarem de bancas de qualificação e defesa de dissertações de mestrado e teses de doutorado.

Atualmente possui cerca de 150 professores e pesquisadores renomados no Brasil e internacionalmente.

Se você é doutor envio um e-mail para a professora Nadia (nkp@nadiamarketing.com.br) e informe os seguintes dados:

DADOS NECESSÁRIOS

Nome:

IES:

Área de Formação:

Áreas de atuação:

E-mail:

Telefones:

Aproveite a dica e faça parte do Banco de Doutores.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...