terça-feira, 16 de julho de 2013

Como elaborar Tabelas, Quadros, Ilustrações, Figuras, Gráficos, Fórmulas e Equações em uma publicação acadêmica e científica

tabelas-graficos-ilustracoes-figuras-quadros-monografias-tcc-artigo-disssertacao-teseUma dúvida frequente que estudantes de mestrado e doutorado (e de outras etapas da vida acadêmica) e também de pesquisadores é com relação à elaboração de Tabelas, Quadros, Ilustrações, Gráficos, Fórmulas, Equações e Figuras para serem colocados em publicações acadêmicas e científicas.

E essa questão já é tratada há décadas pela ciência e, portanto, na área de conhecimento da Administração e afins.

 

 

Este post pretende ajudar nessas dúvidas gerais. Boa leitura!

 

 

Curiosidade histórica: três artigos publicados na RAE (Revista de Administração de Empresas) em décadas passadas já demonstravam essa preocupação.

BONINI, E. E. Principais tabelas estatísticas aplicadas à contabilidade e à auditoria. RAE-revista de administração de empresas, v. 19, n. 3, p. 79–86, set 1979.

SÁ, G. Cadastros, tabelas e padrões: um exame de sistema estatístico nacional. RAE-revista de administração de empresas, v. 20, n. 2, p. 25–34, 1980.

MOTTA, I. S. Gráfico cumulativo para gestão de estoque. RAE-revista de administração de empresas, v. 3, n. 9, p. 105–116, 1963.

Vamos, primeiramente, à conceituação de cada tipo e que é um dos grandes motivos de confusão por parte de autores inexperientes, ou não. Logo a seguir darei dicas sobre cada tipo.

1. Tabela: Segundo a NBR 6022 da ABNT (Norma Brasileira da Associação Brasileira de Normas Técnicas) CONFERIR NOMES DA NBR e link para ela, em seu item 3.24 (p. 2) é um “elemento demonstrativo de síntese que constitui unidade autônoma.” E em seu item 6.10 (p. 5) afirma que “as tabelas apresentam informações tratadas estatisticamente, conforme IBGE (1993).” Trataremos desse item mais à frente.

Ao olharmos a NBR 14724-2011 da ABNT, em seu item 3.32 (p. 8) tabela é a “forma não discursiva de apresentar informações das quais o dado numérico se destaca como informação central.”

Essa norma também recomenda que quando digitado  um trabalho acadêmico tenha a “fonte tamanho 12 para todo o trabalho, inclusive capa, excetuando-se citações com mais de três linhas, notas de rodapé, paginação, dados internacionais de catalogação na
publicação, legendas e fontes das ilustrações e das tabelas (grifo nosso), que devem ser em tamanho menor e uniforme.” (p. 14).

Eu costumo utilizar tamanho 10, mas verifique se há indicações de onde pretende publicar o estudo de algo específico.

Outra informação que a norma traz é com relação ao espaçamento entrelinhas (p. 14): “todo texto deve ser digitado ou datilografado com espaçamento 1,5 entre as linhas, excetuando-se as citações de mais de três linhas, notas de rodapé, referências, legendas das ilustrações e das tabelas (grifo nosso), natureza (tipo do trabalho, objetivo, nome da instituição a que é submetido e área de concentração), que devem ser digitados ou datilografados em espaço simples. As referências, ao final do trabalho, devem ser separadas entre si por um espaço simples em branco.”

Eu costumo usar espaço entrelinhas simples, ou sigo a indicação de onde pretendo publicar.

Normalmente, apesar de não ser item obrigatório e sim opcional, utiliza-se uma Lista de Figuras na etapa do pré-texto de seu trabalho acadêmico, como ensina a NBR 1474:2011 (p. 12):

“4.2.1.10 Lista de tabelas: Elemento opcional. Elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto, com cada item designado
por seu nome específico, acompanhado do respectivo número da folha ou página.”

image

Segundo o item 5.9, na NBR 14724:2011 (p. 15), as tabelas “devem ser citadas no texto, inseridas o mais próximo possível do trecho a que se referem e padronizadas conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).”

Eu costumo utilizar o parágrafo anterior ou posterior à tabela ou ilustração para citá-la e explicá-la.

Um manual bastante utilizado pelos pesquisadores (e por mim) é o das Normas Tabulares do IBGE em uma versão integral e em uma versão reduzida.

IMPORTANTE: Um manual bastante utilizado pelos pesquisadores (e por mim) é o das Normas Tabulares do IBGE (1993).

Disponibilizo aqui o endereço para se obter uma versão integral e em uma versão reduzida.

Normas Tabulares do IBGE (1993) – Completo

Normas Tabulares do IBGE (1993) - Resumo

Sugiro dar uma olhada no Manual de Publicações da ANPAD que auxilia bastante o pesquisador em nossa área para submeter aos seus periódicos, e que pode ser ajustado para os demais. (esta versão é de 2012).

2. Ilustrações: Segundo a NBR 6022 da ABNT, em seu item 6.9 (p. 5) as ilustrações são “qualquer que seja seu tipo (desenhos, esquemas, fluxogramas, fotografias, gráficos, mapas, organogramas, plantas, quadros, retratos e outros), sua identificação aparece na parte inferior, precedida da palavra designativa, seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto, em algarismos arábicos, do respectivo título e/ou legenda explicativa de forma breve e clara, dispensando consulta ao texto, e da fonte. A ilustração deve ser inserida o mais próximo possível do trecho a que se refere, conforme o projeto gráfico.” E no seu item 3.21 (p. 7) ilustração é “designação genérica de imagem, que ilustra ou elucida um texto.”

A respeito disso veja o que a NBR 14724:2011 (p. 15), em seu item 5.8, fala: “Qualquer que seja o tipo de ilustração, sua identificação aparece na parte superior, precedida da palavra designativa (desenho, esquema, fluxograma, fotografia, gráfico, mapa, organograma, planta, quadro, retrato, figura, imagem, entre outros), seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto,
em algarismos arábicos, travessão e do respectivo título. Após a ilustração, na parte inferior, indicar a fonte consultada (elemento obrigatório, mesmo que seja produção do próprio autor), legenda, notas e outras informações necessárias à sua compreensão (se houver). A ilustração deve ser citada no texto e inserida o mais próximo possível do trecho a que se refere.

Segundo a NBR 14724:2011 (p. 12) em seu item 4.2.1.9 há a possibilidade, de na etapa de pré-texto se criar uma Lista de ilustrações, que se trata de um elemento opcional: “elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto, com cada item designado por seu nome específico, travessão, título e respectivo número da folha ou página. Quando necessário, recomenda-se a elaboração de lista própria para cada tipo de ilustração (desenhos, esquemas, fluxogramas, fotografias, gráficos, mapas, organogramas, plantas, quadros, retratos e outras).”

image

 

Eu costumo usar a nomenclatura Quadro, quando se trata de uma ilustração baseada somente em texto e Figura quando se trata de uma ilustração baseada em foto ou item iconográfico. E uso, Gráfico, quando se trata de uma apresentação gráfica de um dado ou análise estatística.

3. Legenda: Segundo a NBR 6022 da ABNT, em seu item 3.14 (p. 2), se trata de um “texto explicativo redigido de forma clara, concisa e sem ambiguidade, para descrever uma ilustração ou tabela.”

4. Equações e fórmulas: Segundo a NBR 6022 da ABNT  em sue item 6.8 (p. 5) elas devem aparecer “destacadas no texto, de modo a facilitar sua leitura. Na sequência normal do texto, é permitido o uso de uma entrelinha maior que comporte seus elementos (expoentes, índices e outros). Quando destacadas do parágrafo são centralizadas e, se necessário, deve-se numerá-las. Quando fragmentadas em mais de uma linha, por falta de espaço, devem ser interrompidas antes do sinal de igualdade ou depois dos sinais de adição, subtração, multiplicação e divisão.”

Já no item 5.7 (p. 15) da NBR 14724:2011, elas, “para facilitar a leitura, devem ser destacadas no texto e, se necessário, numeradas com algarismos arábicos entre parênteses, alinhados à direita. Na sequência normal do texto, é permitido o uso de
uma entrelinha maior que comporte seus elementos (expoentes, índices, entre outros).

Exemplo:

image

Fique de olho também nas normas específicas dos eventos ou periódicos científicos para os quais pretende submeter os resultados das suas pesquisas, bem como nas normas da instituição à qual você está vinculado, pois podem ter solicitações diferentes destas aqui destacadas.

Veja também o meu modelo para projeto de pesquisa.

Para saber como referenciar um item iconográfico (inclui pintura, gravura, ilustração, fotografia, desenho técnico, diapositivo, diafilme, material estereográfico, transparência, cartaz entre outros) verifique o que ensina a NBR 6023, da ABNT.

Se for usar a norma da APA – American Psicology Association indico olhar essa orientação nas figura abaixo, para Gráficos e Tabelas, conforme apresentado por Leclerc e Kensinger (2008):

Norma APA para Gráfico

Norma APA para Tabelas

 

Dicas da ANPAD para APA

REFERÊNCIAS

LECLERC, C. M.; KENSINGER, E. A. Effects of Age on Detection of Emotional Information, Psychology and Aging, 23, pp. 209–215, American Psychological Association, 2008.

ABNT. NBR 6022:2003 Informação e documentação - Artigo em publicação periódica científica impressa - Apresentação, 2003.

ABNT. NBR 6023:2002 Informação e documentação Referências – Elaboração, 2002.

ABNT. NBR 14724:2011 - Informação e documentação — Trabalhos acadêmicos — Apresentação. 2011.

IBGE. Normas de apresentação tabular. 3. ed. Rio de Janeiro, 1993.

Se tiver dicas, sugestões e correções para com este tema, comente!!! Aguardo sua contribuição. Aprenderemos juntos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...