quarta-feira, 19 de junho de 2013

Artigo Publicado: O desenvolvimento urbano e desordenado da Região Metropolitana da Baixada Santista: as implicações socioambientais

 

Publicado um novo artigo científico de minha coautoria. Desta vez no periódico científico Revista da Micro e Pequena Empresa – RMPE FACCAMP, que é B3 em Administração, Contabilidade e Turismo.

image

Este texto foi escrito em parceria com o mestre em Gestão de Negócios, professor e pesquisador Cleber Suckow Nogueira 

RESUMO

A Baixada Santista, que adquiriu importância e se destacou como região metropolitana, principalmente após a década de 1970, apresentou consideráveis transformações em sua paisagem na medida em que o processo de ocupação foi se intensificando. O objetivo era identificar uma região metropolitana que possua convergência de ação entre os seus municípios. A pesquisa consistiu num estudo exploratório, de abordagem qualitativa que foi utilizada como metodologia o estudo de caso único que permitiu uma análise empírica dos pressupostos e problematizada na literatura. A expansão regional retrata a convergência de vários processos, entre os quais cabe destacar as tendências dos mercados de trabalho e imobiliário, bem como as ações decorrentes das diretrizes de planejamento dos municípios. Foi possível afirmar que a Região Metropolitana da Baixada Santista (RMBS) encontra-se numa situação de baixa capacidade de governança. Fortalecer e promover a integração entre os municípios através da Agência Metropolitana e Conselho de Desenvolvimento da região são algumas das soluções que podem contribuir para a implementação de ações integradas entre os municípios da região.

Para acessar clique na figura ou na área de publicações. Acesse também pelo Mendeley.

CLARO, J. A. C. S.; NOGUEIRA, C. S. O desenvolvimento urbano e desordenado da Região Metropolitana da Baixada Santista: as implicações socioambientais. RMPE - Revista da Micro e Pequena Empresa, v. 7, n. 1, p. 81–99, 2013.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...